quarta-feira, 9 de março de 2011

Frases do meu Carnaval




O máximo que Miguel se aproximou das fantasias de carnaval foi desse chapéu cheio de paetês aí da foto. Fantasia de pirata, nem pensar mesmo... Mas antes do Carnaval começar eu não nutria mais nenhuma ilusão de ele mudar de idéia com relação à fantasia. O que passava pela minha cabeça era se eu estaria viva no final da quarta-feira de cinzas... Porém, como o que não mata engorda, aqui estou, vivinha da silva esperando que não esteja mais gorda.

Não foi fácil ficar esses dias todos cuidando do Miguel 'full time', ainda mais sem ter feito sol. Manter um bebê cheio de energia entretido, um bebê que pede pra ir pra rua o tempo todo feliz dentro de casa em dias chuvosos, não foi tarefa simples. Eu e namorado nos desdobramos e acho que estamos ficando especialistas nisso porque, além de estarmos vivos, ainda conseguimos assistir a cinco filmes!

Ficar 5 dias inteirinhos junto ao Miguel é cansativo mas é delicioso. Meu filho me surpreende sempre, é uma caixinha de surpresas. Está sempre fazendo uma carinha diferente, um gesto, uma dancinha nova. Estou sempre morrendo de rir com ele. Miguel é uma criança muito divertida e muito esperta, perigosamente esperta. Com 1 ano e 9 meses já sabe levar bronca sem me enfrentar, fica caladinho, olhando bem sério pra mim. Quando o coloco de castigo (por 1 minutinho pra pensar no que fez...rs..) ele me obedece e quando vou tirá-lo do castigo ele me cobre de beijos e abraços.

Miguel não é um menino de muitos ensaios. A impressão que tenho é que ele vai medindo as situações, observando o ambiente sem demonstrar nada e, quando a gente menos espera, lá está ele fazendo algo que achávamos improvável que ele fizesse naquele momento. Quando ele começou a engatinhar foi assim. As pessoas me perguntavam se ele já estava ficando de quatro, ensaiando com o corpinho indo pra frente e para trás, e eu, meio desesperançada, dizia que não, nem sinal dos sinais óbvios de que ele engatinharia em breve. Pra minha surpresa, quando fui buscá-lo na creche em um desses dias, quando ele estava com 9 meses, fui surpreendida com a tia me perguntando se eu já tinha visto que ele estava engatinhando. E, assim, de uma hora pra outra, Miguel passou a engatinhar tudo!! Sem meia medida, sem lentidão. Muitas crianças estão andando aos nove meses, eu sei, mas Miguel começou a engatinhar com essa idade e o fazia com uma rapidez assustadora.

Com 1 ano e 1 mês Miguel começou a andar. E andou firme, sem quedas. Quando resolveu se soltar, não foi desses bebês que vão experimentando um ou dois passinhos aqui e ali, cai e levanta, tenta de novo. Miguel andou firme, decidido, e, uma vez dado o primeiro passo, não voltou a se apoiar mais em nada. Miguel amanhã completará 1 ano e 10 meses e ele tem o dom de me emocionar. Acho que toda mãe deve ser assim mesmo: idiota. Sou tão boba com a maternidade que a cada coisa nova que o Miguel me mostra, eu me emociono. E os primeiros anos de vida de uma criança são muito emocionantes, em vários aspectos. Há 3 dias estávamos indo almoçar e dei a mamadeira pro Miguel no carro. De repente, Miguel vira pra minha mãe que estava no banco de trás com ele e dispara: "Qué mai não" (o que seria: quer mais não) e entrega a mamadeira pra avó. Epa! "Namorado, você ouviu isso?" Ele formou uma frase!! A primeira frase.

À noite, tentando fazê-lo dormir, estávamos em seu quartinho, com a musiquinha gostosa ao fundo (ele sempre dorme com música suave) e ele se senta na cama e aponta pra porta: "Abi pota, mamãeeeeeee". Ai, eu doida pra ele dormir, desmoronei... Que lindo!!!! Ele está falando mais uma frase!! No dia seguinte, durante o café da manhã, a seu pedido, lhe dei bolo. Minha mãe, pra brincar com ele, falou: "Me dá um pouquinho desse bolo, Miguel". E ele, sem pestanejar, responde: "Não, é meu!"

Pelo visto, Miguel está mesmo destravando a língua e agora vou entrar numa fase bem divertida, com certeza. A comunicação se dá de várias formas, e entre mãe e filho, principalmente, se dá até mesmo através de um único olhar. Mas ouvir seu filho se comunicando verbalmente, estruturando as palavras para formar frases, acreditem, é gostoso demais. Por isso, o melhor do carnaval, já que não pude ver meu filho usando a fantasia de pirata, foi o presente de ouvir suas primeiras frases. E, podem ter certeza, foi o melhor dos meus dias de folia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário